Notícias

Presidente do Health Parliament citado pela Organização Mundial de Saúde

Francisco Goiana da Silva foi uma das pessoas destacadas num artigo da OMS sobre o sucesso de Portugal na redução da obesidade através de medidas como a taxação de refrigerantes e bebidas com açúcar

O Dia Mundial da Obesidade (4 de março) foi alvo de um artigo por parte da divisão europeia da Organização Mundial de Saúde, em que Portugal foi destacado como um exemplo no combate à obesidade, sobretudo pela decisão de taxar mais as bebidas com mais açúcar. Entre os especialistas, o presidente do Health Parliament Portugal, Francisco Goiana da Silva, foi um dos escolhidos para falar das razões responsáveis pela mudança positiva dos últimos anos.

"Estima-se que esta intervenção tenha tido um impacto bem maior na dieta da população que todos os mecanismos de regulação e educação juntos", aponta o médico que obteve uma pó-graduação em Harvard e foi adjunto do secretário de Estado Adjunto e da Saúde do XXI Governo Constitucional, na altura em que a medida dos refrigerantes foi implementada. De acordo com o mais recente Orçamento de Estado, as bebidas cujo teor de açúcar está entre os 50 e os 80 gramas por litro têm um aumento de imposto de 0,25%, passando dos €8 para os €8,02 por cada 100 litros. Para bebidas com teor de açúcar a partir de 80 gramas por litro, a subida é de 0,3%, com o imposto a passar para os €20,06. Atualmente,é de €20.

"O imposto serve também como uma medida para combater as desigualdades sociais em termos de saúde", garante, porque as dietas pouco saudáveis e obesidade, em Portugal, estão diretamente ligadas a determinantes como rendimentos e níveis de educação mais baixos. Factores que aumentam a probabilidade de desenvolver doenças crónicas ligadas ao excesso de peso, por exemplo. "Ao promover o consumo de alternativas mais saudáveis, como a água, que não é mais cara, esta política irá reduzir o risco de aparecimento destas doenças entre os grupos populacionais mais vulneráveis", acredita o presidente do Health Parliament Portugal.

Acompanhe o projeto que junta Expresso, Janssen, Microsoft e Universidade Nova no nosso site e nas plataformas sociais da Impresa.