Notícias

Deputados do Health Parliament alertam: "a covid vai passar. Temos que pensar no que vai acontecer"

Projetos Expresso. Num conjunto de aparições televisivas dedicadas ao sistema de saúde e à saúde mental, um grupo de deputados do Health Parliament aproveitou a oportunidade para deixar vincadas as suas preocupações

O SNS está a passar o maior teste das suas quatro décadas de existência e, até ver, a nota está a ser positiva. Mas os problemas que antes existiam e que vinham sendo apontados pelos especialistas, como as faltas crónicas de financiamento e de pessoal, não desapareceram como por magia.

"O que nos preocupa é que a covid-19 vai passar. Temos que começar já a pensar no que vai acontecer a seguir. Os outros doentes não deixaram de existir", afirma o presidente do Health Parliament Portugal - parlamento de 60 deputados inteiramente dedicado à saúde que junta Janssen, Universidade Nova e Microsoft e ao qual o Expresso se associa. As declarações foram feitas em dois "Prós e Contras", da RTP, em que os deputados do HPP foram a maioria dos convidados.

O sistema de saúde no pós-covid e a saúde mental foram os temas em discussão e as perspetivas, em ambos os casos, levantam cautelas quanto ao futuro. "O SNS permite que tenhamos uma estrutura facilmente acessível e que integra o país, é indiscutível que tem qualidade", recorda o deputado André Trindade, da Comissão de Sustentabilidade e Equidade. Mas, a "estrutura está tecnicamente falida" porque os "recursos que consome são superiores aos que o governo coloca."

Isolamento

"Divida assim não é sustentável", garante André Trindade, ao passo que Filipe Costa, deputado da Comissão de Oncologia, lembra que o "foco e centralidade" deve estar no doente. "Muitas vezes esquecemo-nos disso", atira. A "medição de resultados em saúde é essencial" e esse ponto é visto como um dos pilares do futuro para um SNS mais sustentável.

No campo da saúde mental, Marta Pimenta de Brito acredita que a pandemia "tem trazido a saúde mental para o seio das discussões", só que em Portugal os números continuam a dar que pensar. Em média, temos "um psicólogo para tratar 30 mil utentes ao nível dos centros de saúde", quando a recomendação global é de "um por cada 5 mil".

Já o deputado Henrique Prata Ribeiro, está a conduzir um "estudo sobre depressão relacionado com isolamento" e revela que os casos de "insónia, depressão e ansiedade cresceram". Ou seja, "muito provavelmente, além das pessoas seguidas, temos outras a precisar de ajuda". O trabalho ainda está no início.