Notícias

47% considera que Portugal inovou mais na saúde nos primeiros meses da pandemia

Estudo conduzido pela comissão de Inovação e Valor em Saúde do Health Parliament Portugal dá conta do impacto, junto dos utentes, das perturbações provocadas pela pandemia mas também das mudanças que foram possíveis fazer para lidar com os efeitos colaterais

Tiago Oliveira

Jornalista

A pandemia continua a não dar tréguas ao sistema de saúde e a procura de soluções para lidar com os desafios pode fazer toda a diferença na luta contínua contra a covid-19. Neste campo, a inovação assume um papel importante como forma de tornar os serviços mais eficientes e oferecer alternativas diferentes tanto a utentes como a profissionais de saíde. E qual é a perceção que os cidadãos têm relativamente a este campo tão importante?

1284 responderam ao inquérito lançado pela comissão de Inovação e Valor em Saúde do Health Parliament Portugal - projeto que junta Expresso, Janssen, Microsoft e Universidade Nova - para perceber o impacto que sentiram nesta área ao longo dos primeiros meses da pandemia e a resposta é positiva. Quase metade considera que Portugal inovou mais na saúde nos primeiros meses da pandemia, enquanto 28,8% considera que, desde o momento em que precisou, até ao momento em que beneficiou da inovação, o acesso foi imediato. Já 73,91 %, por exemplo, não tem dúvidas que gostava de ser mais envolvido para identificar e resolver os problemas que existem na saúde.

Entre as maiores dificuldades identificadas pelos participantes destaque para os tempos de espera, com 26,48% e a gestão de recursos humanos, que recolhe 17,66% respostas. Por outro lado, as tele-consultas e as linhas de aconselhamento por profissionais de saúde foram, com 79,13% e 58,64%, respetivamente, as inovações que os inquiridos mais ouviram falar. Apesar do acesso alargado, a maior parte dos cidadãos (32,24%) só se revela mais ou menos satisfeito com a inovação existente.

Leia a infografia em baixo para ter acesso aos dados mais relevantes e acompanhe o Health Parliament Portugal nas páginas do Expresso, na antena da SIC Notícias e nas plataformas sociais do grupo Impresa.